Brasil tem a banda larga mais cara do mundo - Asplan Sistemas

Brasil tem a banda larga mais cara do mundo


O
Brasil tem a banda larga – fixa e móvel – mais cara do mundo e com custo
muito acima do praticado em países emergentes e até mesmo com economias
menos desenvolvidas, revela estudo da UNCTAD(Conferência das Nações
Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), da ONU(Organização das Nações
Unidas), divulgado nesta quarta-feira, 19/10.

De acordo com
estudo, divulgado no país pelo Comitê Gestor da Internet, o custo do
mbps móvel está em US$ 51, enquanto no Quênia fica em US$ 4 e na
Turquia, US$3. Na banda larga fixa brasileira, o custo do megabit está
estimado em US$ 61.

“A telefonia celular no Brasil segue sendo a
mais cara do mundo apesar da redução de 17% constada do ano passado para
cá. Mas os nossos preços ficam muito além do cobrado mundialmente. E o
celular é a ferramenta de inclusão e de acesso”, afirma Carlos Afonso,
do Comitê Gestor da Internet, que colaborou com a pesquisa da ONU,
enviando dados de pesquisas como TIC Empresas e TIC Domícilios,
realizadas no país.

Segundo os dados divulgados pela ONU/UNCTAD,
mesmo que o Brasil desonerasse o serviço de banda larga – uma
reivindicação antiga das operadoras – o custo do megabit móvel – US$ 51
(cerca de R$ 90,00 com o dólar a R$ 1,75) – ficaria muito acima do
cobrado em países com situações econômicas inferiores a nossa. Panorama
semelhante na banda larga fixa – US$ 61.

“Entre as oito maiores
economias, o Brasil é o mais caro disparado. Precisamos rever muitas
questões em telecom. Podemos garantir que a Telefonia, e a banda larga
entra nessa questão porque são serviço das teles, é a grande vilã para o
desenvolvimento das TICs no país”, diz Carlos Afonso.

Para se
ter uma ideia, o custo do megabit móvel no Quênia, na áfrica, é de US$
4. No Marrocos é de US$ 7. No Vietnam fica em US$ 2 e na Turquia, US$ 3.
“A diferença é gritante”, sustenta Carlos Afonso. Outro dado a ser
levado em conta é a velocidade de conexão ofertada ao consumidor.

Enquanto
no Brasil, é de 1 Mbps, no Quênia, esse índice chega a 7,2 Mbps, mesma
velocidade encontrada no Sri Lanka e na Turquia. No Vietnam, a
velocidade é menor, mas chega a 3,6 Mbps. “A Internet móvel está muito
distante do cidadão brasileiro. Muito pouca gente usa a Internet de
fato. Os celulares têm internet, mas o cidadão não usa. Hoje é um
serviço de rico”, observa Carlos Afonso.

Na banda larga fixa o
cenário não é diferente. O preço encontrado para o Brasil para o pacote
ilimitado foi de US$ 31,31 (R$ 54,79 com o dólar a R$ 1.75), para uma
velocidade de 512 Kbps. O estudo apura ainda um custo do MBps fixo de
US$ 61 no Brasil.

Na Turquia, com uma velocidade de 1Mbps – o
dobro da constatada no Brasil – o custo do pacote fixo sai a US$ 30. No
Vietnam, com velocidade de 1,5 Mbps, o custo do pacote sai a US$ 8.72. O
preço do megabit nesses países são, respectivamente, US$ 30 e US$ 6. A
pesquisa sobre dados da telefonia móvel é feita pela Fundação Nokia, na
Finlândia.

No ano passado, a divulgação desses dados da
ONU/UNCTAD já causou polêmica no Brasil. As teles reagiram ao estudo que
apontava a telefonia móvel nacional como a mais cara do mundo.

Por
meio do SindiTelebrasil, elas declaram que a cesta considerada pela
UNCTAD está longe de refletir o perfil médio de utilização da telefonia
celular no Brasil”. Dessa vez, o estudo focou na banda larga, e no caso
do país, segundo o Comitê Gestor foram levados em conta dados do IBGE,
dos estudos da própria entidade e do SEBRAE.

Fonte: http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=28112&sid=8

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *