Google+ inicia guerra contra Facebook - Asplan Sistemas

Google+ inicia guerra contra Facebook

O Google+, nova rede social do Google que estreou nesta terça-feira (28), marca o começo da guerra da empresa contra o Facebook.

Se vai dar certo ou não, ainda é muito
cedo para dizer. Aqui na INFO, demos uma primeira olhada no serviço, que
ainda está com acesso limitado. O Google convidou alguns jornalistas e,
por enquanto, só a companhia pode incluir pessoas na nova rede social.
Sem que os seus amigos participem ou que você possa enviar convites,
fica muito difícil ter uma noção sobre a resposta do público à
iniciativa.

A primeira conclusão que se pode tirar diz respeito aos motivos do
Google. Embora os executivos tenham dito que não se trata de uma
resposta ao Facebook, pode esquecer o discurso. O Google+ é uma
tentativa de ganhar relevância em redes sociais mundialmente, coisa que o
Orkut não conseguiu. Isso é vital para a empresa, à medida que o
Facebook está engolindo o tráfego da web – e roubando cliques dos
anúncios do Google.

O Google+ foi pensado para prender os internautas, que vão poder
conversar com seus amigos por texto, áudio e vídeo, compartilhar fotos,
ler notícias e até assistir, em grupo, a vídeos do YouTube, tudo sem
sair do site. Os recursos disponíveis  já são suficientes para fazer o
usuário permanecer ali por bastante tempo. Com o Hangout, você cria uma
sala virtual de bate-papo com áudio e vídeo, que pode ser pública ou
restrita a determinados grupos. Tudo é bem fácil e intuitivo. Nos nossos
testes, porém, não faltaram bugs, como o apresentado na tela abaixo.

Outra novidade é o compartilhamento por
círculos, que nada mais são do que grupos de pessoas criados por você:
sua família, seus colegas de trabalho, seus amigos da faculdade, etc.
Sempre que postar algo em sua timeline, ou Streaming, você escolhe quais
círculos poderão ver e comentar. Quem não está neles não poderá ler
nada. Criar esses grupos é bem mais simples do que no Facebook ou no
Orkut. Por mais que o Google diga ter tomado cuidado com a privacidade,
algumas das integrações do Google+ assustam.

Não deve demorar para que publicidade seja incorporada ao produto,
rendendo dinheiro a Larry Page e Sergey Brin. Isso, contudo, não é o que
preocupa o pessoal do Google. O que a empresa quer é ser bem-sucedida
(e com rapidez), tirando audiência do Facebook. Como o projeto envolve
centenas de engenheiros, a guerra promete ser longa.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/blogs/nalinhadogoogle/google-1/google-inicia-guerra-contra-facebook/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *