Liberdade da web está ameaçada, diz cofundador do Google - Asplan Sistemas

Liberdade da web está ameaçada, diz cofundador do Google


São Paulo – Em entrevista ao jornal britânico “The Guardian”, publicada
no último domingo, o cofundador do Google Sergey Brin disse que está
maior do que nunca a ameaça aos princípios de abertura e acesso
universal que são as bases da criação da internet. Brin alertou sobre a
existência de “forças poderosas que se alinharam contra a internet
aberta por todos os lados e ao redor do mundo. Estou mais preocupado
hoje do que no passado. é assustador”, disse ao Guardian.Essa
ameaça, segundo Brin, viria da combinação dos governos que cada vez
mais tentam controlar o acesso e a comunicação de seus cidadãos, da
indústria do entretenimento que tenta debelar a pirataria, e a ascensão
de empresas como Facebook e Apple, que controlam que software pode ser
lançado em suas

isto como Pivô da saída parcial do Google da China em 2010 por conta
de preocupações em relação a censura e ciberataques, Sergey Brin hoje
acredita que estava errado quando, há cinco anos, não pensava que a
China ou qualquer outro país poderia de fato restringir a internet por
muito tempo.

Embora esteja mais preocupado com os esforços
de países como China, Arábia Saudita e Irã de censurar e restringir o
uso da internet, Brin disse ao jornal britânico que a ascensão do
Facebook e da Apple, que possuem suas próprias plataformas e controlam o
acesso de seus usuários, poderiam restringir a inovação e balcanizar a
web. “Há muito a ser perdido. Por exemplo, toda a informação contida em
apps – esses dados não podem ser indexados e, portanto, não aparecem nas
buscas”, diz Brin.

Segundo Brin, ele e Larry Page não
teriam conseguido criar o Google se a internet fosse então dominada pelo
Facebook. “Você tem que jogar segundo as regras deles, que são muito
restritivas. Fomos capazes de criar uma ferramenta de busca porque a web
era tão aberta”, observa. Brin ainda criticou o Facebook por dificultar
aos usuários a troca de dados para outros serviços. “O Facebook tem
sugado os contatos do Gmail há muitos anos”, diz.

Pirataria e a indústria do entretenimento

Em relação à indústria do entretenimento, Brin chamou seu
comportamento de “tiro no pé ou pior”, por conta do lobby em favor da
legislação que visa a bloquear sites que oferecem material pirateado. O
co-fundador do Google afirmou que a aprovação dos projetos antipirataria
SOPA e PIPA teriam levado os Estados Unidos a usar a mesma abordagem
tão criticada usada pela China e pelo Irã.

Segundo Brin, a
indústria do entretenimento não atentou para o fato de que as pessoas
continuariam baixando conteúdo pirateado enquanto isso fosse mais fácil
do que usar material legítimo. “Há muitos anos que não faço isso, mas
quando você vai para um site pirata, você escolhe o que quiser, baixa e
funciona. Quando você precisa passar por todos aqueles obstáculos para
comprar conteúdo legítimo, as barreiras funcionam como desincentivos”,
explica.

Privacidade dos dados

Sergey
Brin também reconheceu na entrevista que muita gente se preocupa com
quanto dos seus dados está ao alcance do governo americano por ficarem
armazenados nos servidores do Google. Ele disse que a empresa é
periodicamente forçada a entregar essas informações e às vezes impedida,
por meio de restrições legais, de notificar seus usuários de que isso
será feito.

“Nós seguramos bastante e conseguimos resistir a
muitos desses pedidos. Fazemos todo o possível para proteger os dados.
Se nós pudéssemos ter uma varinha mágica e não ficar sujeitos à lei
americana, seria ótimo. Se nós pudéssemos estar sob uma jurisdição
mágica em que todos no mundo confiassem, seria ótimo. Nós fazemos o
melhor que pode ser feito”, completou Brin.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/internet/liberdade-da-web-esta-ameacada-diz-cofundador-do-google-16042012-7.shl

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *