Será que o bom e velho e-mail está morto? - Asplan Sistemas

Será que o bom e velho e-mail está morto?


Infográfico mostra alguns dados que apontam: o e-mail ainda está com a corda toda, se comparado com Facebook e Twitter

Estamos na era das redes sociais, micro-blogs e até dos SMSs, mas o
email continua firme e forte entre as formas de comunicação online mais
utilizadas em todo o mundo. Um infográfico, feito pelo blog Visible Gains, ilustra muito bem essa supremacia da velha mensagem eletrônica, ainda mais se comparado ao Facebook e Twitter.

Em números de contas, o e-mail dispara na frente com 2,9 trilhões,
seguido do Facebook, com 750 milhões e Twitter, com 300 milhões. Em
número de mensagens/atualizações enviadas por dia, o e-mail segue na
liderança: possui 188 bilhões de mensagens enviadas. Nessa métrica, o
Twitter perde de novo, com 140 milhões de tweets, mas fica à frente do
Facebook, com suas 60 milhões de atualizações diárias.

Em média, 64,8 mensagens são enviadas por dia a partir de cada conta de
e-mail válida. E os outros 2 concorrentes perdem novamente: 0,08 para o
Facebook e 0,47 para o Twitter.

Somente em 2010, 107 trilhões de e-mails foram enviados, 19% a mais que
em 2009. Imagine isso tudo aí, na sua caixa de entrada! Esse número
enorme corresponde a 3,3 milhões de e-mails enviados por segundo,
somente no ano passado.

Se dividirmos entre os e-mails corporativos e dos consumidores, a
diferença é grande: em 2010, 75% das contas eram de consumidores; já nos
corporativos, 110 mensagens diárias eram enviadas e recebidas.

A ásia e o Pacífico são predominantes no uso dessa ferramenta, ou seja,
47% das contas de e-mails estão localizadas lá. Na Europa, o número cai
para 23%, contra 14% na América do Norte. Apenas 16% das contas estão
espalhadas por outras áreas.

Mas, não dá para falar de e-mail sem mencionar os famosos e odiados
spams: 45% de todos os e-mails são spam, sendo que os que efetivamente
são recebidos correspondem a 18%. E eles não são baratos: US$3 milhões
(cerca de R$5,3 mi) são gastos com disparos por ano. E, em relação à
queda de produtividade, os spams custam US$20,5 bilhões (cerca de R$36,5
bi) às companhias.

E as previsões para o futuro? 44% dos entrevistados (maioria de jovens)
acham que o e-mail tem tudo para continuar firme e forte. Outros 41% não
sabem ou não se importam. E os pessimistas representam 15%, achando que
o e-mail está, realmente, morto!
Definitivamente, esses números mostram que o e-mail é velho mas é
persistente, tendo tudo para continuar garantindo seu espaço no mundo
online. Queremos saber a sua opinião: deixe aí nos comentários se você
concorda com o infográfico ou acha que o e-mail já foi dessa para
melhor.

(Para ampliar, clique na imagem)

Reprodu??o

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/sera-o-fim-do-e-mail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *