Guia Para A Gestão De Fluxo De Caixa No ERP 360

Guia para a Gestão de Fluxo de Caixa no ERP 360

A gestão de fluxo de caixa no ERP360 veio trazer praticidade, agilidade e assertividade para as tomadas de decisão empresariais. Afinal de contas, todo bom administrador precisa utilizar a tecnologia a seu favor.

Se você quer otimizar seu tempo introduzindo processos eficientes na rotina do seu negócio, essa é a solução ideal. O ERP 360 traz eficiência, controle e segurança para o gestor financeiro.

Leia este artigo até o fim é saiba o que é esse importante sistema, assim como para que serve o fluxo de caixa da empresa, como fazê-lo e os tipos de fluxo de caixa.

O que é gestão de fluxo de caixa?

Organizar as finanças de uma empresa é uma tarefa imprescindível para o sucesso do negócio. Para tanto, o gestor deve fazer uso de uma ferramenta básica de planejamento e controle financeiro, chamada fluxo de caixa. A administração correta de um fluxo de caixa precisa registrar as contas a receber, as contas a pagar e os previstos.

Caso seja feita manualmente, essa tarefa vai demandar muito mais do profissional responsável por executá-la. Por isso, uma forma mais simples, organizada e rápida de geri-la é a partir do uso de um software de gestão.

Por que fazer gestão de fluxo de caixa?

A gestão do fluxo de caixa permite que o tomador de decisão apure e projete o saldo disponível na conta, de modo que não falte capital de giro para investimentos ou pagamento dos custos da operação.

Quando você controla adequadamente as finanças empresariais, consegue economizar dinheiro e evitar prejuízos com contas no negativo, que pagariam juros altos no rotativo. Com o mapeamento dos recebimentos e pagamentos, fica muito mais fácil organizar a quitação das despesas de acordo com as entradas de caixa.

Essa ferramenta também possibilita que a gerência compreenda melhor de onde vem e para onde vão os recursos financeiros do caixa, de forma clara e objetiva. Assim, é possível analisar se os gastos estão dentro do previsto, se há espaço para redução de custos ou se os investimentos feitos estão apresentando os rendimentos esperados.

Quais os tipos de fluxo de caixa?

Agora, vejamos quais são as categorias de fluxo de caixa que podem ser aplicados em uma pessoa jurídica!

Fluxo de caixa operacional

Esse tipo de fluxo de caixa lista as entradas e saídas operacionais da instituição em um intervalo de tempo específico. Ele faz a contabilidade das transações financeiras relativas apenas ao que é primordial para a operação da companhia.

Fluxo de caixa projetado

O fluxo de caixa projetado não calcula os recursos que já entraram ou saíram do orçamento da empresa. Como o próprio nome diz, ele tem como função prever as receitas e despesas futuras, para que o gestor possa ter recursos suficientes para arcar com os compromissos assumidos pela organização.

Seu benefício é nunca ser pego desprevenido e ver de maneira clara como está o futuro financeiro do negócio.

Fluxo de caixa direto

É bem parecido com o fluxo de caixa operacional, sendo que a diferença entre eles é que o fluxo de caixa direto inclui investimentos, capital de giro e impostos.

Fluxo de caixa indireto

Essa categoria de fluxo de caixa é feita com base no DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício) e mostra se a companhia lucrou ou saiu no prejuízo no intervalo de tempo analisado.

Fluxo de caixa para investimentos

São os recursos que sobram depois que são deduzidos os gastos empresariais em geral, para que o gestor saiba se cabe no orçamento algum investimento ou não.

Fluxo de caixa livre

Avalia a capacidade da instituição de produzir recursos financeiros para arcar com seus pagamentos no curto ou médio prazo.

O que é o ERP 360?

O ASPLAN 360 é um sistema de gestão que tem como função principal facilitar e otimizar a administração das finanças empresariais e operação como um todo.

Com o ASPLAN 360, o gestor consegue ter uma visão global do projeto. A solução é estruturada na nuvem, permitindo o acesso a partir de qualquer computador ou dispositivo móvel conectado à internet, levando mobilidade aos usuários.

Por que utilizar o ERP 360 na gestão de fluxo de caixa?

A gestão do fluxo de caixa é a ferramenta mais básica de controle financeiro empresarial. Apesar disso, muitos gestores ainda encontram dificuldades de realizar essa tarefa, que pode (e deve!) ser simples, com o uso do ERP 360 para registrar as informações pertinentes.

Com o Asplan 360, o administrador será capaz de balancear o fluxo de caixa junto aos fornecedores e clientes, organizando os recebimentos e pagamentos sem que seja preciso perder muito tempo fazendo isso.

Hoje em dia, com o avanço da tecnologia e das estratégias de gestão de negócios, uma empresa que não consegue prever o futuro do seu caixa corre sério risco de fechar as portas. E é justamente o fluxo de caixa que dá essas previsões.

O ERP 360 evita que erros sejam cometidos, otimiza o tempo e, com poucos cliques, fornece relatórios completos para o tomador de decisão conhecer o lucro, as despesas e as possibilidades de investimentos em um tempo determinado.

Como fazer a gestão de fluxo de caixa no ERP 360?

Gestão de contratos

O sistema faz o provisionamento dos recebimentos e pagamentos com base nos contratos com fornecedores e clientes, o que é um grande diferencial do ERP 360.

O contrato, por definição, tem um início e um prazo, determinado ou não. O sistema da Asplan pode, por meio das informações do contrato, gerar automaticamente os valores referentes a esse documento dentro do fluxo de caixa.

Cadastro dos contratos

Uma boa prática que precisa estar no foco das empresas é fazer o registro dos contratos (notas fiscais, boletos, notas de débito) com antecedência, e não somente na data do vencimento.

Caso contrário, o fluxo de caixa não informará os dados corretos para previsão. Procure inserir as informações no sistema no momento em que a documentação for recebida.

Cadastro dos impostos

Atenção ao cadastrar os impostos gerados a partir dos títulos. Por exemplo, caso uma nota fiscal de serviços tenha retenção, é preciso cadastrar os títulos e também a retenção.

Um título no valor de R$10.000, repassa R$9.500 ao fornecedor e os R$500 restantes são referentes aos impostos governamentais. Quanto mais correto for feito o registo, mais fácil, mais objetivo e mais completo estará o fluxo de caixa.

Contratos a receber

Sempre que possível, é preciso observar a concordância entre as emissões de notas ficais e a geração dos valores a receber, caso não haja integração entre os sistemas.

Isso é imprescindível para que o gestor se certifique que não só a nota fiscal tenha sido emitida, mas as movimentações do contas a receber também tenham sido geradas.

A gestão de fluxo de caixa no ERP360CS deve contar com uma classificação gerencial adequada. Isso significa avaliar adequadamente tudo que entra e o que sai do caixa, bem como os projetos, centros de custos ou áreas envolvidas em cada movimentação. Feito isso, os relatórios serão emitidos facilmente!

Que tal ter informações importantes e corretas disponíveis com agilidade, para que você possa controlar as finanças da sua empresa, expandindo o negócio e aumentando a visibilidade dos seus produtos ou serviços? Entre em contato com a Asplan e saiba como!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *