Erp Blog

Saiba como um ERP para o terceiro setor moderniza e melhora o controle financeiro

Você já ouviu falar em ERP para o terceiro setor? A transparência é um dos pilares dessas organizações, o que possibilita a captação de recursos necessários para a sustentabilidade e continuidade delas. Com o uso de uma plataforma específica, essas tarefas se tornam muito mais simples.

Neste artigo, separamos alguns dos motivos que fazem de um ERP uma boa opção para o controle financeiro e para a gestão de empresas desse setor. Confira!

Ajuda no controle patrimonial

No terceiro setor, o controle patrimonial é uma tarefa indispensável e, por isso, precisa ser feita com eficiência e segurança. Para garantir o melhor resultado, a tecnologia é uma boa aliada. Com a implantação de um ERP, a instituição consegue ter controle sobre todas as operações em uma única plataforma.

No caso específico do controle patrimonial, o sistema de gestão integrada promove algumas facilidades, como o cadastro dos bens no inventário por códigos de barras, consulta fácil e rápida por meio de pesquisas personalizadas e o cálculo automático de depreciação, além de outras funcionalidades. Assim, os responsáveis pela organização têm mais segurança, eficiência e praticidade para fazer a gestão do patrimônio.

Auxilia no controle orçamentário

Independentemente do setor em que atua, uma ONG utiliza, na maioria dos casos, verba da iniciativa privada. Ao colocar os trabalhos em prática, o controle do orçamento é fundamental para que tudo saia conforme foi planejado.

Essa é uma preocupação constante dessas organizações, pois todos os recursos são contados e apenas um pequeno erro causado por desorganização pode fazer com que o doador corte relações. Com o uso de um ERP, os responsáveis podem ficar mais tranquilos, pois ele oferece todas as ferramentas para fazer esse controle, o que facilita a gestão do local e auxilia no controle do fluxo de caixa.

Oferece indicadores de resultados

Com a implementação de um ERP para o terceiro setor, visualizar os resultados conseguidos por meio das decisões tomadas se torna mais simples. Ao ter essas informações em mãos, fica mais fácil saber se existe alguma área em que é preciso melhorar para gerar resultados ainda mais satisfatórios.

O ERP também facilita a coleta de informações relevantes para planejamentos. Com isso, é possível utilizar esses indicadores para fazer previsões e traçar ações para as tarefas que precisarem ser cumpridas. Estabelecer metas a curto, médio e longo prazo é possível e mantem a instituição organizada estrutural e financeiramente, o que é sempre bom para empresas do terceiro setor.

Tem acesso a informações gerenciais para tomada de decisões

As empresas do terceiro setor, em meio a todo o trabalho que desenvolvem, precisam tomar decisões extremamente acertadas, pois o dinheiro para realizar tudo o que precisa ser feito costuma ser escasso. Sendo assim, um simples erro de cálculo pode ser fatal para o desenvolvimento de uma tarefa ou até colocar toda a organização em risco.

Tomar decisões com base em informações estratégicas é a melhor opção para aprimorar esse ponto. Isso porque elas são capazes de oferecer o embasamento necessário para evitar possíveis erros de cálculo e falhas no geral.

Powered by Rock Convert

Para que isso possa ser colocado em prática, o uso da tecnologia é essencial. Por isso, contar com um ERP para o terceiro setor é a melhor solução. Por meio dele, as informações são geradas rapidamente e de forma confiável, o que é necessário para a manutenção e captação de recursos junto aos parceiros.

Esse tipo de sistema é capaz de oferecer funções importantes, como o estudo e a estruturação de planos de contas gerenciais e contábeis. Elas são fundamentais, pois representam a espinha dorsal da análise de informações e, por isso, precisam ser pensadas de acordo com as exigências e particularidades de cada financiador.

Oferece prestação de contas individual

Como uma empresa do terceiro setor conta com diversas fontes de recursos que ajudam a manter a instituição, realizar a prestação de contas gerais não é tão efetivo quanto para as organizações privadas. Por isso, criar uma única apresentação de um panorama que atende todos os envolvidos acaba sendo um trabalho ineficaz.

A forma mais correta de demonstrar transparência, nesse caso, é por meio de prestações de contas individuais. Assim, cada apoiador recebe um relatório com informações sobre onde o dinheiro doado foi investido e qual retorno ele proporcionou para um projeto específico ou para a organização como um todo.

Esse documento também é importante para que os órgãos públicos e as empresas possam prestar contas do dinheiro gasto por elas.

Proporciona maior segurança e classificação de informações

Quando uma Organização Não Governamental utiliza um ERP, as chances de erros ocorrerem em relação à prestação de contas para as pessoas ou órgãos privados que fizeram as doações são mínimas. Isso porque esse sistema é capaz de agregar todos os departamentos, de forma que todas as informações sejam prestadas de forma ágil e com total segurança.

Outra vantagem de uso desse tipo de ferramenta é para a organização de informações, o que também facilita na hora prestar conta do que foi gasto. Em um plano de contas, a organização pode incluir todas as suas receitas e despesas em categorias, para que seja mais fácil de fazer os lançamentos. Assim, quando uma auditoria for realizada, todas as entradas e saídas de dinheiro estarão disponíveis de forma clara.

Ajuda no gerenciamento de projetos

Como, muitas vezes, organizações do terceiro setor estão envolvidas em vários projetos ao mesmo tempo, em que cada um tem características e necessidades específicas, pode ser difícil fazer o gerenciamento deles de uma vez só. Mais uma vez, o uso de um software especializado pode ajudar nessa tarefa.

Com a ajuda de um ERP, todas as informações relacionadas aos projetos ficam separadas de acordo com a especificação de cada um para facilitar o acesso aos dados sempre que necessário. Dessa forma, as pessoas envolvidas conseguem ter uma melhor organização e disponibilização dessas informações, que podem ser separadas por categoria ou pelo nome do projeto.

Como você pôde perceber, a utilização de um ERP para o terceiro setor melhora o controle financeiro da organização ao mesmo tempo em que moderniza os processos. Para que essa tarefa seja realizada da maneira correta, é preciso contar com o auxílio de uma boa ferramenta, que seja capaz de fazer uma gestão eficiente da ONG, como o ASPLAN 360.

Quer saber mais sobre ele? Então, entre em contato conosco agora mesmo e descubra como ele pode ajudar a sua instituição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *